X
São João da Barra/RJ, 17 de Agosto de 2018
São João da Barra/RJ, 17 de Agosto de 2018
fb.com/portalozk.com.br | instagram.com/portalozk | twitter.com/portalozk | Fale Conosco

Entretenimento
13 de Fevereiro de 2018 ?s 09h14
Cantor Dilsinho é "preso" em confusão no município de São Francisco de Itabapoana/RJ, diz locutor de bloco carnavalesco
Leonardo Ferreira / Portalozk.com
titulo da notícia

O cantor Dilsinho está envolvido em uma tremenda confusão que aconteceu na noite de ontem, segunda-feira de carnaval, dia 12 de fevereiro, no município de São Francisco de Itabapoana, Norte do Estado do Rio de Janeiro. ASSISTA AO VÍDEO DO LOCUTOR ANUNCIANDO O CANCELAMENTO DO SHOW.

O bloco da Jubiraca, da localidade de Santa Clara (SFI/RJ), contratou o show do cantor para iniciar às 19h de segunda-feira de carnaval ao custo de R$ 40 mil, segundo informou o locutor no local do evento. Ele explicou que uma parte do valor foi paga e a outra restante, R$ 6 mil, seria paga ao fim do show. Sendo que os artistas de status nacional recebem todo o cachê antes de subirem ao palco e foi isso que cobrou um produtor do Dilsinho: todo o valor antes do show. Não tendo sido creditado, o empresário do cantor Dilsinho se negou a iniciar o show. O impasse se perdurou e o staff do artista voltou para casa.

O locutor até tentou explicar ao público presente sobre o problema do show mais aguardado de toda a programação de São Francisco de Itabapoana neste 2018, mas não teve vida fácil. Recebeu muitas vaias e, os mais alterados, queriam promover quebra-quebra no local. Uma fã que estava no local disse, em rede social, que o locutor do evento chamou o cantor Dilsinho de 'ladrão'. Outra fã, na mesma postagem, lembrou que o locutor também chamou o artista de 'moleque'. Em um vídeo na internet, o locutor chama Dilsinho de "safado". Ao anunciar que o ônibus do artista estava "preso" pela Polícia Rodoviária Federal em Ururaí, Distrito de Campos dos Goytacazes, o locutor chegou a chorar. O público começou a vaiar e gritar palavrões. Num momento, as pessoas se viraram contra o cantor: "Ei, Dilsinho, vai tomar...".

Em nota oficial, a Jubiraca diz que "tudo será provado judicialmente e a verdade virá à tona, pois temos todas documentações e testemunhas para nos defender de todo esse equívoco. O show estava marcado para às 19 horas no palco do evento, no entanto, ainda não sabemos o verdadeiro motivo o qual ele abandonou o evento sem dar satisfação. Foi acionada a polícia militar onde foi localizado (o veículo da banda/produção do cantor Dilsinho) em Ururaí pela polícia rodoviária a sua equipe, porém, o artista já não se encontrava fazendo parte da mesma (comitiva), e o show acabou sendo cancelado", alega a produção do evento. "Lamentamos o desrespeito com os seus fãs e a falta de diálogo. Peço compreensão e mil desculpas pois a justiça será feita", concluiu a Jubiraca.

Já Dilsinho, também em nota oficial, diz que "por conta do não cumprimento de diversos itens do contrato e ainda do não pagamento do cachê da apresentação, o escritório responsável pela carreira de Dilsinho invalidou a apresentação que o cantor faria hoje, 12 de fevereiro, em São Francisco de Itabapoana no Rio de Janeiro. Certos de contarmos com a compreensão dos fãs, jornalistas e radialistas da cidade, esperamos voltar em breve e que a música brasileira não conviva mais com esse tipo de comportamento e falta de respeito com o artista, sua equipe e principalmente os milhares de fãs que ficam reféns desse tipo de atitude".

Um dos empresários do artista foi mais detalhista em postagem nas redes sociais. Andriws Moraes disse que "os contratantes não cumpriram os itens básicos do contratos e muito menos pagaram os valores acertados no mesmo. Nos enrolaram a semana toda, prometeram que viriam ao rio pagar na sexta, no sábado e nada. Inventaram mil desculpas, que estavam cansados, que o carro estava quebrado. Mesmo sabendo que não pegamos dinheiro na estrada devido à segurança da nossa equipe e do artista, abrimos uma exceção e viajamos mais de 5hs de ônibus com toda a equipe com a promessa de receber na chegada ao hotel para que 2 homens da segurança voltassem com esse dinheiro ao Rio. Chegando ao hotel, novamente o contratante quis nos enrolar e não cumpriu o acordado dizendo que foi culpa dos seus sócios. Neste momento mais uma vez percebemos o comportamento maldoso do contratante, cancelamos o show e voltamos para a estrada. É triste a música conviver com esse tipo de profissional, um desrespeito com o artista, com a equipe e PRINCIPALMENTE COM O PÚBLICO que estava lá para assistir o show".

A orientação jurídica é que os pagantes têm direito a receber o dinheiro pago no ingresso de volta. Os que se sentirem lesados, podem procurar advogado para que entre com ação judicial de forma coletiva ou individual. Os organizadores devem devolver o dinheiro do público pagante. Certo mesmo é que o bloco da Jubiraca, de Santa Clara, São Francisco de Itabapoana, ficará com esse arranhão na imagem para sempre e o bloco pode não ter mais sobrevida depois deste episódio.

GALERIA DE FOTOS (1)

Todos os direitos reservados | 2004 - 2016 | Grupo OZK V.A.F. Comunicação e Publicidade | CNPJ 14.775.883/0001-16 | Criando por Leonardo Ferreira | Desenvolvido por Jean Moraes