X
São João da Barra/RJ, 20 de Setembro de 2017
fb.com/portalozk.com.br | instagram.com/portalozk | twitter.com/portalozk | Fale Conosco

Cultura
17 de Julho de 2017 às 11h05
“Mercedes”: história da campista, primeira bailarina negra do Theatro Municipal, é atração do X Tudo Cultural
Postado por: Leonardo Ferreira
titulo da notícia

'Mercedes', espetáculo do Grupo Emú, que celebra vida e obra da bailarina e coreógrafa Mercedes Baptista ,um dos maiores ícones da cultura negra no Brasil, é uma das atrações do Festival X-Tudo nos teatros SESI Macaé, Campos e Itaperuna. Bailarina de formação erudita, Mercedes Baptista, nascida em Campos dos Goytacazes (1921-2014) foi a primeira mulher negra a compor o corpo de baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Pioneira da dança moderna brasileira e principal responsável pela disseminação das alas coreografadas do carnaval carioca, Mercedes é referência internacional da dança afro-brasileira.

A artista foi a fundadora do Ballet Folclórico Mercedes Baptista, no Rio, que inaugurou uma nova perspectiva da dança moderna no Brasil. Inicialmente formado por negros, o grupo ganhou notoriedade e respeito apresentando-se não somente no País, mas por boa parte da América do Sul e da Europa, sendo responsável por inserir nomes como Elza Soares, Ruth de Souza e Léa Garcia no cenário cultural da época. Além disso, viajou pelo mundo divulgando e ensinando a dança afro-brasileira.

'Mercedes' é o primeiro projeto de construção cênica e pesquisa em Teatro Negro do Grupo Emú. Mais de 3.000 pessoas já assistiram ao espetáculo que estreou em maio de 2016 na Arena do Espaço Sesc, em Copacabana, e já participou de importantes festivais e mostras brasileiras, como a Mostra Benjamin de Oliveira, em Belo Horizonte (MG), e a Mostra Olonadé, da Cia dos Comuns, no Rio de Janeiro.

A música é utilizada como signo poético, por meio da junção de instrumentos eruditos e tambores de matrizes africanas.  O espetáculo propõe o retorno às expressões afro-brasileiras, através da narrativa em torno da construção da identidade negra na dança brasileira, contada a partir de fatos da vida de Mercedes.

A personagem é vivida por Iléa Ferraz, Sol Miranda e Shirlene Paixão. O espetáculo Mercedes será apresentado nos dias 19/07 em Campos, 20/07 em Macaé e 21/07 em Itaperuna, sempre às 20h, Os ingressos custam R$10,00 ( inteira ) e R$5,00 ( meia)

Todas as sessões serão precedidas por uma "Oficina de Dança Afro-brasileira e Tendências Contemporâneas para Dança Afro", ministrada por Fábio Batista e acompanhamento percussivo de Kaio Ventura.

A oficina visa promover o contato dos alunos com a dança afro-brasileira a partir da técnica formatada por Mercedes Baptista. A proposta é dialogar com técnicas contemporâneas, como laban, pilates e hip-hop, incorporando ao sistema de aula movimentos que façam a junção de estilos sem compromete a essência da dança afro. A oficina também evidencia as histórias da formação da dança, a contribuição de seus mestres e todo o cunho folclórico abraçado por Mercedes Baptista. As oficinas acontecem às 18h.  Serão oferecidas 25 vagas e as inscrições são gratuitas.

Oficinas, batalha de hip hop e muito mais
Outra oficina que promete chamar a atenção do público é a de "Penteados Afro", que acontece no dia 19/07, às 16h em Macaé. A aula vai mostrar diversas possibilidades de penteados rápidos, utilizando assessórios simples e de fácil acesso.

Em Campos, outra atração é o show "Abalô Abadô, que  homenageia a música criada pelos afro-brasileiros, numa mistura de canções portuguesas, indígenas e africanas.No repertório, influências de samba, maracatu, ijexá, maxixe, lambada, carimbó, entre outros.  Uma saudação a Jovelina, Clara Nunes, Mestre Marçal, Giberto Gil, Ruy Maurity, Caetano Veloso e aos cantos e toques afro-brasileiros. O show acontece no dia 20/07, às 20h

Para as crianças, a pedida é a peça infantil "Ecos da África" que reúne contos, lendas e histórias dos ancestrais africanos. O espetáculo do Grupo Faz de Conta  tem figurinos e objetos de cena feitos com material reciclado e será apresentado no dia 22/07, às 17h no teatro SESI Campos.

Em Itaperuna, dia 18/07, às 20h, tem dois espetáculos de dança com Rui Moreira. "Receita" tem coreografia de Henrique Rodovalho e une as artes da dança e da culinária, encenando uma bem-humorada receita de "Bolo Xadrez" . "Definitivo é o fim" parte de princípios reflexivos sobre a impermanência do tempo, como resultado, o espetáculo estabelece pontes entre o ocidente e o oriente através do gestual, de danças urbanas contemporâneas, citações de danças patrimoniais afro-brasileiras e o BUTOH oriental.

Já no dia 20/07, às 19h30, também em Itaperuna, tem "Batalha de Hip Hop, das ruas para o palco". A batalha consiste em desafios com 45 segundos para cada participante, através de temas sugeridos pela plateia. A improvisação é o elemento principal e que torna a batalha mais divertida e desafiadora. Vence quem tiver o melhor desempenho e o juiz é o próprio público.

E pra encerrar a programação da semana no Noroeste, tem show "Música negra e as raízes do reggae" com FM size. A banda homenageia o artista Bob Marley com muito reggae e influências da música negra. O repertório fica ainda mais rico com sucessos de nomes como Cidade Negra, Charlie Brown JR, Nação Zumbi, Marcelo D2, O Rappa entre outros. Os instrumentos alfaia, berimbau e atabaque, utilizados pelos músicos, dão um toque afro ao show.

O Festival acontece até o dia 29 desse mês. Todas as atrações tem entrada franca ou preços populares, R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia|).

AS 7 MAIS LIDAS

Todos os direitos reservados | 2004 - 2016 | Grupo OZK V.A.F. Comunicação e Publicidade | CNPJ 14.775.883/0001-16 | Criando por Leonardo Ferreira | Desenvolvido por Jean Moraes